domingo, 25 de março de 2012

NOTA DA OPOSIÇÃO - SINDICATO DOS JORNALISTAS DE SP

O fotógrafo jornalístico Lucas Lacaz, publicou essa "nota" no facebook. Como somos amigos, pedi licença para publicar em meu blog, pq eu sou contra todo e qualquer continuísmo. Acredito que as mudanças no "poder", seja qual for, é nossa única maneira de manter a democracia viva! 

segue:


NOTA DA OPOSIÇÃO - SINDICATO DOS JORNALISTAS DE SP

Sem argumentos, Diretoria espalha inverdades
e faz campanha difamatória contra CHAPA 2

1. A CHAPA 2 foi montada pela Oposição à atual Diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo com o objetivo de oferecer aos jornalistas uma real alternativa de luta, comprometida com a defesa dos interesses da categoria e disposta a tirar nosso Sindicato do estado de apatia e fragilidade em que se encontra. Os princípios da CHAPA 2 são independência frente a patrões, partidos e governos; democracia no Sindicato; e participação das bases, ou seja, dos jornalistas, na vida e nas ações da nossa entidade representativa.

2. O programa de lutas da CHAPA 2 para a gestão 2012-2015, inspirado nos princípios acima citados, tem como prioridades barrar as demissões, lutar por aumento real dos salários, brigar por PLR, combater as fraudes nas relações de trabalho, o assédio moral e a atribuição de múltiplas tarefas aos jornalistas (“jornalismo multimídia”), além de aumentar a quantidade de jornalistas sindicalizados, mobilizar a categoria em defesa dos seus direitos (como carteira assinada, condições de trabalho, aposentadoria digna) e dar autonomia às sedes regionais.

3. A Chapa 1, que reúne a maior parte da atual Diretoria do Sindicato, tem evitado o debate programático. Nas visitas às redações e também na internet e nas redes sociais, lamentavelmente, integrantes da Chapa 1 vêm lançando uma série de acusações difamatórias contra a CHAPA 2 e seus componentes. Espalharam tantas falsidades e calúnias que chegaram afastar muitos colegas do debate sério sobre propostas que poderia ser feito de modo frutífero. E continuam a disseminar inverdades.

4. A Chapa 1 tem procurado insistentemente vincular o nome do ex-diretor Alcimir do Carmo à CHAPA 2, da qual ele NÃO faz parte. Para estabelecer esse vínculo, a Chapa 1 (Diretoria) faz insinuações contra membros da CHAPA 2 que têm laços pessoais com esse ex-diretor do Sindicato, como se isso os incriminasse ou os impedisse de se candidatar.

5. O que a Chapa 1 não conta aos colegas é que várias dessas pessoas acusadas por ela de fazer parte do chamado “grupo do Alcimir” integram a atual gestão do Sindicato, eleita em 2009. Por exemplo, os colegas Sérgio Barbosa, diretor regional Oeste Paulista, e Tuca Melges, diretor regional de Bauru. Eles permanecem nos seus cargos. Não existe acusação ou processo contra eles. Por que razão não poderiam fazer parte da CHAPA 2?

6. O ápice desse processo difamatório contra a CHAPA 2 é um e-mail enviado para jornalistas aptos a votar, em nome da Chapa 1, no dia 22 de março, com o seguinte teor:

“Jornalista do Interior
A Chapa 1 torna públicos dois documentos que esclarecem definitivamente, as circunstâncias em que o ex-diretor Alcimir do Carmo foi afastado da direção do Sindicato pela diretoria Plena, a segunda mais importante instância de deliberação da entidade. Aliando-se à Chapa 2, ele vem disparando ataques inomináveis contra membros da Chapa 1, pela Internet, fazendo o trabalho sujo para a chapa de oposição. Tomem conhecimento da ata de afastamento e de documentos da diretoria de finanças que demonstram as irregularidades cometidas pelo ex-diretor. Faça você mesmo (a) a sua análise.
Saudações,
Chapa 1 - Sindicato Forte - Unidade e Luta”

Em anexo à mensagem acima reproduzida, a Chapa 1 enviou três documentos da diretoria de finanças relativos às contas daquele jornalista, comentados na forma de “dossiês”. Em outras palavras, a Chapa 1 substituiu o Sindicato! Pois em momento algum a entidade tornou disponíveis para os sócios esses documentos, nem no site, nem em boletins eletrônicos, nem nas publicações impressas (Unidade e Mural). Assim, a Chapa 1 tornou públicos documentos que caberia ao Sindicato divulgar.

7. Ao confundir-se com a Chapa 1, a Diretoria do Sindicato dos Jornalistas deu uma demonstração de desapreço à transparência na condução da entidade. A divulgação de documentos por uma das chapas, sem que tais papéis tivessem sido antes divulgados pela entidade, indica que eles foram ocultados da categoria até o momento em que a Diretoria considerou que teriam utilidade política. Ou seja, às vésperas da eleição.

8. Não bastasse tal confusão de papéis e conflito de interesses entre a Diretoria e a Chapa 1, o e-mail enviado aos jornalistas do interior afirma levianamente, sem qualquer fundamento ou prova, que o ex-diretor Alcimir “vem fazendo o trabalho sujo para a chapa de oposição”. Além de não provar tal acusação difamatória, a Chapa 1 não explicou em que consiste o tal “trabalho sujo”.

9. A CHAPA 2 não tem qualquer responsabilidade ou controle sobre as ações e palavras do citado ex-diretor. Cabe a ele, exclusivamente, responder por todos os seus atos. A Chapa 1 sabe disso, pois conhece muito bem Alcimir do Carmo, uma vez que ele foi um dos principais articuladores da atual gestão, em 2009.

10. Um dos alvos da campanha difamatória da Chapa 1 tem sido a companheira Mônica Delicato, acusada de “ residir em Portugal”. Esclarecemos mais uma vez que a jornalista tem residência fixa no Brasil, e passa apenas uma temporada no exterior (onde atua como correspondente para veículos brasileiros, não perdendo o vínculo com o país), para realizar estudos de doutorado. Justamente por isso ela ocupa um cargo de suplência na CHAPA 2.

11. Chamamos a Comissão de Ética do Sindicato a se manifestar sobre esses casos e instalar um procedimento de apuração de desvio ético abarcando todos os diretores eleitos na gestão 2009-2012. Protocolaremos pedido formal nesse sentido já nos próximos dias.

12. Reivindicamos também da Comissão Eleitoral, responsável por garantir a lisura e equilíbrio do pleito em curso, que esta nota chegue ao conjunto dos sindicalizados por meio do mesmo mailing utilizado pela Chapa 1, no prazo máximo de 48 horas.

13. A categoria deve ser informada de que a CHAPA 2 não tem qualquer responsabilidade nos supostos fatos divulgados oportunisticamente pela Diretoria, que até recentemente os havia ocultado e que terceirizou sua publicação via Chapa 1, sinal de desconhecimento dos princípios básicos do sindicalismo combativo e democrático, mas também de absoluto desespero.

14. Importante notar, ainda, que a Diretoria e a Chapa 1 simularam indignação quando a CHAPA 2 conquistou, na Justiça do Trabalho, acesso à lista completa de jornalistas sindicalizados e seus respectivos telefones. Dias depois, porém, um candidato da Chapa 1 de São José do Rio Preto admitiu que havia recebido a listagem diretamente da sede do Sindicato em São Paulo. Em outras palavras: a “máquina” do Sindicato vem sendo usada para favorecer a Chapa 1.

15. Sabemos que os jornalistas não compactuarão com a difamação e as inverdades espalhadas pela Chapa 1 (Diretoria). E esperamos que, para mudar as práticas, as idéias e as pessoas à frente do nosso sindicato, e assim renovar profundamente a nossa entidade, a categoria vote Chapa 2. Chega de continuísmo!

São Paulo, 25 de março de 2012
CHAPA 2- Renovar para Mudar, Sindicato é Pra Lutar!


Nenhum comentário:

Postar um comentário