sexta-feira, 1 de outubro de 2010

CARTA RESPOSTA DA Fundação Cultural Cassiano Ricardo


Estimados amigos e queridas amigas, gostaria de compartilhar com vocês a Carta Resposta que fui buscar na sede da FCCR, referente a Carta Aberta de minha autoria, sobre a Bienal do Livro de SJCampos, lei municipal nº 6037/2002.

É uma pena que a Bienal do Livro seja considerada pela FCCR apenas um evento que não faz parte da política cultural do município, conforme afirmado na Carta Resposta. 

Quanto aos impostos, ainda que atos relacionados aos livros sejam imunes de tributos, uma bienal certamente gera circulação de outros bens de consumo, bem como prestação de serviços, tais como: alimentação, hospedagem, transporte, para não me estender muito. 

Ademais, em relação a uma Bienal do Livro, o que mais importa é a geração de cultura e desenvolvimento social, e não apenas a geração de impostos.

É de extrema importância esclarecer que, embora o Festival da Mantiqueira traga muitos benefícios aos escritores joseenses, em nada se confunde com a Bienal do Livro, evento totalmente diverso.

Por fim, gostaria de entender o que significa a seguinte frase da Carta Resposta: "Em que pese o mencionado ato legal ter dado conotação cultural ao evento há que lembrar V. Sa. que desde que o Homem começou a andar pelas savanas africanas a cultura passou a desenvolver-se. Tudo em nossa vida é cultura. Também por esse motivo a Fundação Cultural não pode e não deve abarcar todo o universo cultural. O foco desta Instituição é a Arte, formação iniciativa, dentre outros, nos seus mais diversos aspectos." 

Se você souber explicar o que quer dizer isso, por favor, deixe seu comentário.

E pergunta permanece: Por que a Bienal do Livro de SJCampos não é realizada, se é lei e possui previsão de dotação orçamentária?

Segue Carta Resposta da FCCR:



2 comentários:

  1. Affe! O calor da savana africana deve ter derretido o cérebro dele.

    Lamentável!

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente, Júlio, a resposta deles foi como eles são: primitivos. Parabéns mais uma vez.

    ResponderExcluir